Nos três amistosos realizados pelo Corinthians na pré-temporada, houve reservas que entraram bem e fizeram um trabalho melhor do que o dos titulares. Bruno Henrique, Jadson, Danilo e Stiven Mendoza estão entre os que apresentaram desempenho satisfatório, observado por Tite.
O gaúcho assegura estar atento a eles e também às atuações daqueles que vem escalando – Elias, por exemplo, está longe do velho Elias, e Lodeiro já ouviu vaias. Ele espera, no entanto, o momento certo para mexer na equipe, evitando criar instabilidade e comparando o seu trabalho ao de um médico.
"O médico sabe o problema. Quando dar o medicamento é que é o negócio. Tem que ter no tempo certo para que tenha o efeito certo. Em um time, isso é importante para não ter aquele entra, sai, entra sai. A equipe base está aí, mas aberta a situações importantes", afirmou Tite.
Em todos os compromissos até aqui na temporada, com uma ou outra diferença tática, a escalação foi a seguinte: Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Fábio Santos; Ralf e Elias; Lodeiro, Renato Augusto e Emerson; Guerrero. Mal em todos os jogos, Lodeiro é quem corre mais risco. Felipe sairá se o reforço Edu Dracena reunir boas condições físicas.
"Parto de uma ideia de manter uma base, mas sem abrir mão de trocas também. Coerentemente, quem vem entrando e entrando bem vai conquistado espaço. E, quando entrar, sabe que não vai entrar em um jogo só. Vai ter oportunidade igual à daqueles que estavam", concluiu Tite.
O tempo é curto. Após três testes nos quais não apresentou grande desempenho, o Corinthians estreia no Campeonato Paulista no domingo, contra o Marília, em Itaquera. Três dias depois, no mesmo local, começa o mata-mata com o Once Caldas pela Copa Libertadores. Fonte/ MSN notícias