Select Menu

Slider

Travel

Cute

My Place

Racing

» » » Doria diz que tentar impedir suas viagens é 'ditadura e totalitarismo'
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

           © Secom Para evitar o encontro com manifestantes, o prefeito entrou pelos fundos do prédio
"No dia que alguém for impedido pelo Ministério Público ou pelo desejo de petistas de viajar por seu próprio país, teremos instalada a ditadura e o totalitarismo". Assim o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), rebateu a representação feita nesta terça (22) pelo diretório municipal do PT-SP junto ao Ministério Público Estadual.
Na representação, o PT acusa o prefeito de improbidade administrativa por conta de suas viagens pelo Brasil. Segundo o partido, seriam para fins eleitorais, em desacordo com o interesse público da função de prefeito.
Doria falou à reportagem nesta quarta (23) durante mais uma de suas viagens. O prefeito esteve no Espírito Santo, onde foi recebido com protestos, gritos de "fascista", bate-boca e confusão na frente da Câmara de Vereadores de Vila Velha (7 km da capital Vitória), onde recebeu o título de cidadão vila-velhense, sem antes ter pisado na cidade.
Para evitar o encontro com manifestantes, o prefeito entrou pelos fundos do prédio.
"O PT e o Lula produziram essa intolerância, onde as pessoas acham que a verdade é só a do Lula. Quantos bandidos já nasceram nessa cidade (de Vila Velha) e nem só por isso foram homenageados. Por que alguém que nunca esteve não pode receber homenagens?", rebateu enquanto militantes das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo protestavam do lado de fora da Câmara e tentavam entrar no plenário onde acontecia a homenagem.
CONTRA-ATAQUE
Agora, enquanto aguarda o Ministério Público Estadual receber parecer da assessoria técnica da Procuradoria-Geral para análise da acusação do PT, João Doria segue para o contra-ataque.
"Uma acusação destas, vindo do PT, é bizarra, para não dizer ridícula. É o partido que promoveu a maior falcatrua com dinheiro público na história do país. Viajo com o meu avião e uso o meu dinheiro na condição de prefeito da maior cidade brasileira e como vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos", justificou.
Batendo na tecla de que suas viagens -em sete meses, Doria saiu de São Paulo três vezes mais que seu antecessor, Fernando Haddad (PT)- não possuem cunho eleitoreiro e aura de pré-corrida presidencial, o prefeito avaliou como "ótima" a postagem no Twitter do governador Geraldo Alckmin, na manhã desta quarta, de que quer ser candidato à Presidência.
"Ele tem todo o direito de pleitear e trabalhar por isso. Eu, no entanto, não estou em pré-campanha e não me apresento como pré-candidato", falou.
Doria, que movimentou 11 viaturas policiais e 32 homens fazendo a segurança da Câmara de Vereadores de Vila Velha durante o protesto, saiu carregando chocolates, uma panela de barro e bradando: "O que fazem é uma agressão covarde e não há rojões ou ovadas que vão me calar". Com informações da Folhapress.Fonte/MSNNotícias

Publicado por Jornal OProgresso

As matérias assinadas não expressão a opinião do jornal.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Leave a Reply