Select Menu

Slider

Travel

Cute

My Place

Racing

» » » O ENSINO FECHADO E PARALISADO COM A METODOLOGIA TRADICIONALISTA
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga


Imagem retirada da internet
O sistema educacional é o principal meio de acesso que cada indivíduo tem para aprender e alcançar seus objetivos, as metas e os sonhos e a profissionalização. Mas na realidade, os alunos acabam “ não querendo nada com nada”.

Desde o início do ensino escolar, as escolas e os professores adotaram uma metodologia de ensino em que os alunos conseguissem aprender com mais rapidez, “facilitando” o trabalho do professor. Essa metodologia era aplicada por meio da repetição, onde o aluno “falava e repetia” com a imposição do professor. Com essa metodologia imensa, ela se denomina como Ensino Tradicionalista que visa o aprendizado através da repetição.

Não podemos nos esquecer que esse método ainda faz parte de muitas escolas que enxergam esse método como o método “ideal” no aprendizado de alguns alunos que possuem dificuldades no ensino. Dessa forma, não é plausível e nem pertinente dizer que o professor adquira essa metodologia para todos os seus alunos, que cada qual é diferente do outro. Por isso, a importância do professor conhecer seu aluno, ressaltando que a crítica aqui não é o uso da metodologia tradicionalista, mas sim ter uma visão de que essa metodologia é igual ou todos os alunos terão que se adequar a essa nova metodologia.

A escola precisa ser um espaço interativo, de criatividade, jogos, ideias, discussão, experiências vividas para serem compartilhadas entre todos, resultando em uma aprendizagem significativa em que o aluno produza sua própria autonomia, capaz de questionar, discordar, criticar e construir sua própria opinião. Mas para que a escola seja esse espaço, é de extrema importância que todos os profissionais, dentre eles, o Diretor, Vice-Diretor e a Coordenação, possam ser os agentes transformadores e inovadores no aprendizado significativo dos alunos, como por exemplo: jogos lúdicos, compartilhar as experiências do cotidiano, aproveitar os espaços físicos da escola como o refeitório, quadra, pátio ou até mesmo fora da escola.

Para que todas essas transformações aconteçam, é preciso que a escola em um contexto geral, seja uma INOVAÇÃO, espaço de CRIAÇÃO, onde as EXPERIÊNCIAS vividas sejam COMPARTILHADAS, a fim de que os alunos PRODUZAM seus próprios CONHECIMENTOS, através da APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA.

Jeferson Mazaro é professor*

Publicado por Jornal OProgresso

As matérias assinadas não expressão a opinião do jornal.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Leave a Reply