Select Menu

Slider

Travel

Cute

My Place

Racing

» » » » Aos 89 anos, Angela Maria morre em São Paulo
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

                                   Imagem/Reprodução

A cantora Angela Maria morreu na noite deste sábado, 29, aos 89 anos, em São Paulo. O velório, às 10 horas deste domingo, e o enterro, às 16 horas, estão marcados para a zona sul da capital paulista, no Cemitério Congonhas, que confirmou a realização das cerimônias. De acordo com informações da unidade do Itaim Bibi do Hospital Sancta Maggiore, onde a artista estava internada desde o final de agosto por causa de uma infecção generalizada, ela não resistiu a uma parada cardíaca.
Nascida em Conceição de Macabu, no Rio de Janeiro, Abelim Maria da Cunha assumiu o nome artístico de Angela Maria e começou a carreira de cantora aos 19 anos, em 1947. Gravou dezenas de sucessos e ganhou o título de "Rainha do Rádio", graças a eleição na edição de 1954 do tradicional concurso criado pela Associação Brasileira de Rádio. A intérprete se notabilizou como uma representante do gênero samba-canção, que surgiu no Brasil nos anos 1930.
O último álbum de estúdio da artista foi "Angela Maria e as Canções de Roberto & Erasmo", lançado em 2017, pela gravadora Biscoito Fino. Ao longo da carreira, a cantora promoveu parcerias com Roberto Carlos, Gal Costa, Caetano Veloso, Agnaldo Timóteo, Alcione, Cauby Peixoto, Fafá de Belém, Ney Matogrosso, entre outros. Foi candidata a vereadora da cidade de São Paulo na eleição municipal de 2012, pelo PTB, mas não se elegeu.
O jornalista Rodrigo Faour lançou em 2015 um livro biográfico da cantora, intitulado "Angela Maria: A Eterna Cantora do Brasil", do Grupo Editoral Record. A obra retrata os anos de dificuldade financeira que Angela Maria passou com a família durante a infância dela e a dificuldade de vencer a resistência dos pais à carreira de cantora. A biografia também relata como a artista, que chegou a ter o maior salário do Rádio nos 1950, conseguiu se manter relevante nas décadas seguintes, apesar dos modismos musicais de cada época.
Ícones musiciais da MPB, como Elza Soares e Alcione, usaram as redes sociais para lamentar a morte da companheira de palcos.
Fonte/MSN Notícias

Publicado por Jornal OProgresso

As matérias assinadas não expressão a opinião do jornal.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Leave a Reply