Select Menu

Slider

Travel

Cute

My Place

Racing

» » » » Bolsonaro já nomeou 12 ministros e pode concluir Esplanada nesta semana
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

                                Imagem / Reprodução - Youtube

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), pode completar nos próximos dias as indicações para compor a Esplanada no futuro governo, que começará a partir de 1º de janeiro de 2019. Até esta 2ª feira (26.nov.2018) 12 nomes já haviam sido anunciados para chefiar ministério.
Neste domingo (25.nov), Bolsonaro reafirmou que pretende anunciar todos os nomes do 1º escalão até o fim de novembro.
Até esta 2ª feira (26. nov. 2018), haviam sido assegurados:
Durante a campanha, Bolsonaro afirmou o desejo de ter uma Esplanada com cerca de 15 pastas.  Após a eleição, citou a possibilidade de ter 17. Mas, agora a equipe de Bolsonaro trabalha com a meta de manter até 20 ministérios.
Além dos nomes para os ministérios foi anunciado o nome de André Luiz de Almeida Mendonça para assumir a AGU (Advocacia Geral da União), que deve perder status de ministério.
Bolsonaro também confirmou o nome do diretor do Santander Roberto Campos Netocomo presidente do BC (Banco Central). Atualmente, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, tem status de ministro. Campos Neto provavelmente não terá.
Os próximos dias serão de articulação para definir o comando das pastas que restam. Faltam nomes importantes como os próximos titulares da Infraestrutura, Minas e Energia, Integração Nacional e Cidadania.

Equipe econômica

A equipe do superministro da Economia, Paulo Guedes, também está em formação. Na última semana, postos-chave foram preenchidos: Rubem Novaes comandará o Banco do Brasil, Pedro Guimarães ficará na  Caixa Econômica e Carlos Von Doellinger chefiará o Ipea(Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).
O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, seguirá no cargo. Neste sábado (24.nov), Guedes anunciou Carlos Alexandre da Costa, que já está no governo de transição, como possível secretário de produtividade. Na 6ª (23.nov), o futuro ministro já havia anunciado o empresário Salim Mattar para o comando da secretaria geral de desestatização.
Também foram confirmadas as indicações do ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy para chefiar o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e de Roberto Castello Branco na Petrobras.  Ainda faltam indicações para a presidência de grandes estatais, como Eletrobras e Correios, entre outras.
Fonte / MSN Notícias

Publicado por Jornal OProgresso

As matérias assinadas não expressão a opinião do jornal.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Leave a Reply