Select Menu

Slider

Travel

Cute

My Place

Racing

» » » » Energia vai subir 7,87% na região
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

                                   Imagem / Reprodução
 A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste médio de 8,66% nas tarifas da CPFL Paulista, válido a partir do próximo dia 8. Para os consumidores residenciais, a alta será de 7,87%. No ano passado, as tarifas para consumidores domésticos subiram 19,84%.
O reajuste para os consumidores empresariais atendidos em baixa tensão será de 8,34%, em média, enquanto o aumento médio para as tarifas de consumidores atendidos em alta tensão será de 9,30%.
A CPFL Paulista é a distribuidora da CPFL Energia que atende 234 cidades do interior paulista, incluindo Rio Preto, num total de 4,4 milhões de unidades consumidoras.
O principal motivo foi o aumento dos itens financeiros da tarifa, com impacto de 9,07% no total do índice médio do reajuste, já incluídos os efeitos positivos do pagamento antecipado do empréstimo da chamada Conta ACR, que cobriu custos extraordinários com risco hidrológico em 2014, e dos ajustes em rubrica da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que colaboraram para segurar a alta.
O aumento dos custos de energia também influenciou o reajuste, em especial pelo aumento do valor da energia gerada por usinas operadas pelo sistema de cotas e pelo impacto da variação cambial na energia de Itaipu.

Mato Grosso

Os consumidores atendidos pela Energisa Mato Grosso terão um reajuste tarifário médio de 11,29%, com impacto de 10,12% para os consumidores residenciais. A distribuidora fornece energia para 1,4 milhão de unidades consumidoras localizadas no estado.
Para os consumidores da Energisa Mato Grosso do Sul foi autorizado um aumento médio de tarifas de 12,39%. O efeito médio para os consumidores residenciais será de 11,47%. A concessionária atende 1,022 milhão de unidades consumidoras localizadas em 74 municípios do Estado do Mato Grosso do Sul.
Fonte / Diário da Região

Publicado por o progresso

As matérias assinadas não expressão a opinião do jornal.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Leave a Reply